quinta-feira, 2 de junho de 2011

BONSUCESSO - O Bairro Da Minha Infância



Vez por outra - ou com bastante frequência - sou atacada por uma imensa nostalgia que me faz buscar as lembranças dos tempos idos da minha vida. Como já mostrei em outra postagem, eu nasci no bairro Piedade, mas vivi dos 3 aos 24 anos em Bonsucesso, subúrbio do Rio de Janeiro, simples e tranquilo, naquela época remota. Com o "progresso", o bairro foi mudando e hoje tento descobrir imagens antigas pela net e recolho as poucas fotos que herdei da minha família.



O bonde era um meio de transporte seguro porém, vagaroso. Com o aumento da população, com mais carros circulando, e com a ânsia de rapidez que tomou conta da humanidade, ele, tão bonitinho e simpático, foi descartado das ruas do Rio de Janeiro, restando o de Santa Teresa para matar a saudade. Circulando "do lado de lá da estação", o que queria dizer para mim, o lado da Rua Uranos, pois eu morava no lado da Praça das Nações, o tranquilo bondinho fazia um grande percurso, chegando até ao centro da cidade.
(foto da net)
 Nessa foto tão antiga, eu estou junto do chafariz que existia na Praça das Nações. No ano de 1951. Atualmente essa praça não tem mais esse nome, mas é assim que eu lembro dela.
A loja lá no fundo era uma Farmácia.  Depois dela, uma casa antiga onde morava um senhor chamado Felipe que a criançada - maldosamente - chamava por um apelido que ele não gostava e que o fazia correr atrás deles.
O Ao Nosso Restaurante quase aparece, na ponta direita da foto.  Que pena não ter sido enquadrado na imagem...
Foto da Flora.

 Na esquina da Rua Cardoso de Morais com Av. Maxwell, existia a padaria do seu Belmiro, e sua filha Esmeralda era minha colega de colégio. Na foto, minha mãe na varanda do nosso apartamento e, lá no fundo,  o prédio da Padaria do seu Belmiro, que tinha a loja embaixo e morava no sobrado.
 Uma loja curiosa existia por alí, com uma porta na Cardoso de Morais e outra na Guilherme Maxwell. Acho que era uma loja de ferragem ou de material de construção. Anos mais tarde ali seria outra loja da Elite.
Foto da Flora


 Dividido pela linha férrea, Bonsucesso tinha cancela, antes das passagens subterrâneas que deram maior segurança mas tiraram o charme antigo. Essa foto que encontrei na net é de 1929.
Do lado direito da foto está a Rua Cardoso de Morais, que começa ali, junto da cancela e segue até o bairro vizinho de Ramos.
Pensando nesse tempo, vou lembrando o que existia por ali:
Além da Padaria do seu Belmiro, ( lado direito de quem segue para Ramos), tinha a casa da dona Lúcia, com quem estudei piano e acordeon. Adiante ficava o Cinema Bonsucesso, pequenino e sem ar refrigerado, o que para os cariocas era uma verdadeira prova de fogo ! Depois encontramos a Rua Baturité, onde na esquina ficava a serraria do seu Araújo, pai da minha colega Carlinda. A Tinturaria Sport e, lá na frente, já no Largo de Bonsucesso, estava a Padaria Olímpica.

Dessa rua, tenho outra jóia de fotografia que mostra meu pai e o sr. Otaviano, que era funcionário da nossa loja - Casa das Bolsas - posando na porta da mesma, lá pelo meio dos anos 50.
Ao lado, está uma loja de ferragens, que mais tarde transformou-se em um moderno estabelecimento chamado Mundo Das Louças. Este, depois foi transformado no Banco Boavista. Hoje, nem imagino o que estará lá...
Foto da Flora.


Continuando pela Cardoso de Morais, pegando agora o lado esquerdo e em frente à Padaria do seu Belmiro, tinha a quitanda do seu Alípio e, ao lado, a loja que só vendia sabões.
Na foto, meus pais estão na varanda do apartamento em que morávamos e,  lá no fundo, no canto direito,  aparece um pedacinho da Praça das Nações e o lindo prédio que  ia da Av. Nova Iorque até a Av. Guilherme Maxwell. A rua que aparece é a  última que citei.  Sempre gostei desse edifício...
 Mais para a frente ficava a Escola Almirante Barroso, uma casa pequena de frente de rua, onde estudei a 1ª e a 2ª série primária. Pertencia à dona Mariazinha.
Quase na esquina da Rua Bias Fortes estava o armarinho de nome interessante: A Pomposa.
Mais além, a loja que vendia flores, da dona Gracinda, onde minha mãe costumava comprar suas queridas flores para embelezar nossa casa.
Já na beirinha do Largo de Bonsucesso, a loja de tecidos da dona Arzelinda, que também era costureira e amiga de minha mãe.
Foto da Flora.




Em 1989, estava assim esse trecho da Cardoso de Morais, mas em épocas mais antigas,
logo após a Sapataria Elite, que era do meu tio e ficou famosa ao longo dos anos, com a direção do meu primo, ficava a pequenina loja do meu pai.
Margeando a linha férrea, vemos a Rua Dona Isabel onde, num terreno baldio eram armados os circos e parques de diversões.





















Aqui estou eu, na Av. Paris, em 1949. Interessante observar o carro e as casas.
Já maiorzinha, eu gostava de alguns trechos dessa rua, pois existiam árvores que lhe davam uma bela aparência. Também sempre gostei de um edifício baixo - talvez 3 andares - que fazia esquina com a Av. Bruxelas e possuia belas varandas. Outra construção que para mim tinha um quê de mistério era a entrada de uma vila que começava na Av. Paris, e descia até a Av. Nova York, tendo entrada pelas 2 ruas.
Foto da Flora.


 Ainda em 1949, ou 1950, durante o tempo em que moramos na Av. Paris, num dia de domingo meu pai foi comigo e com minha irmã dar um passeio até a "praia de Inhaúma", que ficava do outro lado da Av. Brasil. Nunca tomei banho de mar nessa praia, mas minha sogra contava que nos seus tempos de juventude era uma praia muito boa e era frequentada pelos moradores. A foto antiga registrou o momento, e esse acréscimo a essa postagem tão longa foi inspirado pelo comentário do Jayr, que lembrou da Praia de Inhaúma.
Foto da Flora.

  Duas fotos encontradas na net, acredito que da mesma época - 1957.
Rua Cardoso de Morais, e vê-se o Lotação, pequeno ônibus daqueles tempos. A Casa Chic, da qual pode-se ler o letreiro, era um armarinho completíssimo

Acho - não tenho certeza - que as pessoas sentadas no meio-fio, eram comerciantes que vendiam alimentos, nos dias de Feira. Observem que algumas usam um lenço na cabeça, típico das "baianas" que vendem doces. Lembro que usavam um fogareiro à carvão e assavam espigas de milho. Uma senhora está inclinada, como se estivesse perguntando o preço de alguma coisa.
Essa foto me fez "viajar" nas asas do tempo...

  Eu morei no edifício que aparece no fundo da foto.

Essa foto é da varanda do edifício que morei - Rua Cardoso de Morais 25 apartamento 301. Minha família (mais a empregada da casa), apertados na pequenina varanda.
Mas o melhor da foto é que aparece um pedacinho da rua,  o muro da linha do trem, e o morro lá atrás ! O ano: 1950 ou 1951.
Foto da Flora.
 Nessa foto, já mais perto da esquina, vemos o ponto de ônibus, e o Banco Boavista que inicialmente era aqui, antes de ocupar o lugar do Mundo das Louças. Onde eu estaria nesse dia de 1957, no momento que fizeram essa fotografia ? Já me procurei, mas não estou aí não...
Após o ponto de ônibus, ficava a loja das Mercearias Nacionais, seguida da loja Sued, que vendia roupas.

Essa é a visão que tínhamos da janela do nosso apartamento. A linha do trem, e a rua Uranos do outro lado. Quase aparece o colégio Santa Cruz, onde estudei, que estava na ponta direita da foto!
Foto da Flora.

Encontrei na net essa fotografia em que aparece o tradicionalíssimo Ao Nosso Restaurante, sinônimo de boa comida. Logo adiante, a Loja Modelo do Juquinha, outro marco do bairro.
Após o Juquinha, como era conhecida a loja, e fazendo esquina com a Praça das Nações comprida que margeia a linha do trem, existia um grande bar com sinuca nos fundos. Na frente, em pequenos nichos, um lugar onde vendia frutas e era do seu Domingos, pai da minha colega Palmira, e um engraxate daqueles de cadeiras bem altas.

Depois da esquina, mais adiante um pouco, estava o Armazém Leão, que tinha um grande leão "empalhado", que era o termo que usávamos na época. Um pouco assustador...
Continuando o caminho encontramos As Lojas Brasileiras, O Lar Feliz, e um armarinho.
Nesse ponto a calçada fazia uma curva formando uma "bacia", e nesse trecho estava a Farmácia Vitória.
Na esquina, encontrávamos a Av. Paris. E, no outro lado da "bacia", estava o Cinema Paraíso, que aparece no lado esquerdo da foto e é a construção de 2 andares.
Só restaram as fotos e as lembranças...

Na Praça das Nações comprida, (pois a outra era arredondada), o belo chafariz com a Mulher da Luz, escultura que foi roubada recentemente !!!
Nessa foto mais recente, onde os ônibus estão, era, nos tempos idos, o lugar dessas lojas que citei acima.

Av. Nova York e o carro antigo. Morei nessa casa onde está o carro, porém em época posterior.
Como lastimo não possuir mais fotos desses lugares que fizeram parte da minha vida e por onde caminhei durante tantos anos...

Ofereço essa postagem carregada de recordações para meu amigo Filipe, saudosista inveterado e que vive suspirando de saudade dos tempos idos.

Em 15/8/17, reencontrei uma colega de infância, que estudou, como eu, no Colégio Almirante Barroso, da Dona Mariazinha, que ficava na Rua Cardoso de Morais, perto da Rua Bias Fortes!
Ela é a Esmeralda, filha do seu Belmiro da padaria! Também estudamos acordeon com a D. Lúcia.  Isso nos anos 50...
A Esmeralda me encontrou porque uma pessoa leu essa postagem sobre Bonsucesso e a avisou !
Esmeralda e seu marido vieram me visitar em São Lourenço, e foi ótimo relembrarmos tantas coisas, pessoas, lugares, de um Bonsucesso que não existe mais !
Ela me lembrou de uma carvoaria, na esquina da Av. Guilherme Maxwell com Av. Bruxelas, que eu não lembrava mais.  E a carvoaria ainda existe ! Que bom !!!

Na foto, a Esmeralda e o Normando.
Foto da Flora.



PS: essa postagem está ficando como obra de igreja: inacabada, pois a cada dia acrescento mais alguma informação. O que começou como um simples recordar meu bairro, acabou transformando-se num compêndio sobre Bonsucesso dos tempos idos !

124 comentários:

  1. Oi Flora,

    Fiquei muito emocionada com esse post. Conheço muito bem o bairro de Bonsucesso. Morei em Inhaúma muitos anos e depois fui morar em Pilares.
    Na minha infância ia muito lá com mamãe. E depois de casada com a minha ex-sogra, que faleceu semana passada. Ela amava ir fazer compras lá. Eu gostava de ir com ela. Lembro-me que tinha uma sapataria famosa, mas esqueci o nome. Ela tinha crédito lá, e voltava pra casa cheia de calçados para os filhos e noras e logo em seguida para os netos.
    Banco Boavista foi o primeiro banco que tive conta. Fiquei toda boba..kkkk ainda mais por que me deram conta especial. Mas não por que eu tinha dinheiro, sim pelo cargo que eu ocupava na Empresa. Eu que fazia as aplicações financeiras. Deve ser por isso. Risos
    Obrigada querida, por me fazer recordar o bairro que foi meu vizinho por muitos anos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Flora, conheço bem o Bairro de Bonsucesso, nasci e fui criada em Vicente de Carvalho, frequentei por muito tempo esse bairro.
    Algumas lojas que você cita, foram as minhas preferidas como: Mundo das Louças, Modelo do Juquinha e a Sapataria Elite.
    A Praça das Nações, creio que ainda tem o mesmo nome.
    Viajei no tempo com sua postagem.
    Um abraço! Bom fim de semana!!

    ResponderExcluir
  3. Oi,Flora!
    Adorei sua foto ,na Av.Paris - 1949!
    Muito fofa! As fotos preto e branco,dizem muito mais;ñ acha?
    Bjs.perfumados de nostalgia....

    ResponderExcluir
  4. Flora, eu tb conheço esses lugares! Ia com minha mãe fazer compras na Praça das Nações quando era pequena. Morei em Inhaúma, como a Lucinha. Costumávamos almoçar no "Nosso restaurante" aos domingos; meu pai adorava aquele lugar.
    Boas lembranças...
    A última vez que fui ao Rio passei por esses lugares, mas estão muito diferentes. Nem de longe lembram o que eram.
    Um grande abraço e obrigada pelas boas recordações.
    Helô

    ResponderExcluir
  5. Olá minha amiga,

    ultimamente também tenho andado mais nostálgica. Fruto da blogagem coletiva fases da vida. Tenho revisto minha vida em flashback.

    Adoro fotos e filmes a preto e branco. Existem uns filmes portugueses antigos que nos mostram Portugal de outras épocas, mais calmas, com bonde, ruas sem trânsito, meninos a brincar em segurança... (ainda noutro dia assisti Aniki Bóbó).

    Recordar também é viver, não é mesmo?
    Beijos,
    Rute

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lucinha:

    Fiquei tão entusiasmada com seu comentário que estiquei a postagem acrescentando mais texto e fotos !!!
    Inhaúma conheço de momentos tristes quando da visita ao cemitério.
    Pilares é para os lados da Piedade, bairro em que nasci e onde morei mais tarde por 3 anos.

    A sapataria famosa é a Elite, que meu tio abriu em 1948, mesmo ano em que meu pai saiu da Piedade para Bonsucesso e instalou seu comércio que, inicialmente era um conserto de sapatos - Rápido São Jorge - e pouco mais tarde ele transformou na Casa das Bolsas.

    Acho que o Banco Boavista era o que ele usava.

    Como profunda admiradora da História, lastimo as mudanças que fazem com que se percam as nossas referências e lembranças.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi, Dora:
    Você e a Lucinha alegraram meu dia com seus comentários !

    Bonsucesso sempre teve um comércio forte e era visitado pelos bairros vizinhos.

    Lembro que quando a antiga loja de ferragens se transformou no claro e moderno Mundo das Louças foi um grande impacto para nós. Eu e meus irmãos gostávamos de entrar lá, e minha mãe sempre nos orientava para manter as mãos nas costas, quietinhas, sem mexer nos reluzentes e tentadores objetos !

    A Praça das Nações onde ficava a Elite, agora é chamada de Professor Augusto Motta, em homenagem ao fundador da Suam.

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi, Izabel:

    Eu lembro muito bem dessa época em que morei na Av. Paris, apesar de ser bem pequenina.

    As fotos em preto e branco trazem um clima de passado. Mas adoro fotos coloridas !!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Oi, Helô:

    O Ao Nosso Restaurante, do sr. Manoel Ribeiro, primo de meu pai, era muito famoso, acho que principalmente pela comida portuguêsa.

    Já faz muito tempo que não ando por Bonsucesso e nas últimas vezes, já era tudo bem diferente. Resta ficar com as fotos antigas e as lembranças...

    Você não tem blog ?

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi, Rute:

    Eu adoro minha vida atual e não a troco por nada nesse mundo, mas gosto muito de recordar o passado, vendo fotos, conversando com quem conheceu os mesmos lugares, apreciando filmes que mostram esses tempos tão distantes. Emociono-me com tudo isso e acho muito gostosa essa sensação cálida e nostálgica.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Oi, Flora

    Tenho blog sim, mas não loguei por ele. Aliás, mesmo sem pedir sua autorização, eu linkei você, pq admiro muito seu trabalho.
    Agora fica o link, se quiser passar por lá.
    .
    Achei interessante vc dizer que o dono do Ao Nosso Restaurante se chamava Manoel Ribeiro pq nós tb somos Ribeiro. Será que somos parentes distantes e por isso meu pai gostava tanto de lá? É um detalhe que não me lembro...era bem pequena e não tínhamos muita convivência com os parentes de meu pai.
    Vc sabe de que lugar de Portugal eram esses Ribeiros? A família do meu pai era de Tondela.
    .
    Beijo pra vc!
    Helô

    ResponderExcluir
  12. Essa postagem é uma das melhores que já vi por aqui. Parabéns! Obrigada por compartilhar conosco um pouco do lado pacífico e nostálgico do Rio.

    ResponderExcluir
  13. Oi,Flora!
    Menina...Que surpresa adorável e nostálgica!
    O bairro carioca de Bonsucesso também,por coincidência, faz parte da minha estória! Morei ali com a minha família entre os anos de 1984 e 1988. E quantas lembranças boas eu guardo aqui no coração...
    Na verdade, passei muitos anos de minha infância e adolescência andando por aquelas ruas de lá. Vivemos muitos anos no bairro vizinho de Ramos, e vez ou outra, eu e minha família estávamos sempre em Bonsucesso... Sou praticamente " filha" desta região leopoldinense, onde a linha do trem era um marco de tantas estórias...
    Para você ter uma idéia, a família do meu pai era antiga na região, e dizem que um dos meus bisavôs paternos foi amigo dos donos da antiga fazenda onde hoje fica o bairro de Bonsucesso!
    Meu avô paterno tinha uma loja de móveis antigos na rua Uranos, e conhecia muita gente de toda essa redondeza...Bonsucesso,Ramos e Olaria... Quantas lembranças!
    Moramos na rua Bias Fortes em Bonsucesso,bem pertinho da Praça das Nações, e quantas vezes passeamos eu e o meu marido por lá,na época do início do nosso namoro... E tantas vezes almoçamos aos domingos no "Ao Nosso Restaurante"... Meu pai adorava a comida de lá... E também compramos muitas vezes nas lojas "Elite"! Que bacana saber que eram lojas da tua família,Flora...Como este mundo é mesmo pequeno,né? (Rs...)
    Hoje moro na zona oeste do Rio,bem longe destes bairros da minha juventude, mas ainda tenho muitos parentes espalhados por lá... Nunca quiz nem mudar o meu endereço eleitoral...Acho que no fundo, eu continuo querendo me manter ligada às minhas raízes antigas, que com certeza, são partes essencias da minha família e do que realmente sou.
    Também fiquei emocionada em ver estas fotos antigas e tão preciosas...E adorei as tuas fotos de menina ! E este teu maravilhoso post foi para mim também uma "viagem no tempo" pelas terras tão queridas de minha própria estória!
    Muito obrigada por esse presente precioso...
    Beijo carinhoso do meu coração carioca para o teu!
    Teresa
    ("Se essa lua fosse minha")

    ResponderExcluir
  14. Oi, Helô:

    O seu Manoel tinha um irmão - Alberto, e convivi bastante com eles.
    Meu pai era de Vizeu, tendo nascido num lugarzinho pequeno chamado Enxertado e passando sua infância em Felgueiras, até vir para o Brasil com 11 anos. Se eles eram primos, talvez fossem da mesma região. Já escrevi sobre a aldeia de meu pai aqui:http://floradaserra.blogspot.com/2009/03/raizes-portuguesas.html

    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Obrigada, Anabela, por suas gentis palavras !

    Quem, como eu, viveu no Rio de antigamente lastima bastante os rumos que o mundo tem tomado, pois não é só no Rio que a vida está mais agitada e violenta.

    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Oi, Teresa:

    Que legal encontrar pessoas que viveram no mesmo lugar, mesmo que em épocas diferentes !

    A Rua Bias Fortes era a minha queridinha por ter árvores ! Sempre fui fascinada por plantas, desde criança, e as ruas que eram arborizadas me encantavam. Lá existia um casarão de 2 andares e porão, cercado de vegetação e com um ar misterioso, que eu adorava.
    Você sabia que o Zagalo morou nessa rua ?

    Talvez eu tenha conhecido a loja do seu avô...

    Fiquei muito feliz por ter podido fazer você relembrar tempos de sua juventude. Eu nem quero andar mais por lá, pois está tudo irreconhecível para quem tem registrado na lembrança as imagens de anos muito, muito antigos.
    Saí de lá em 1969, mas meus pais ficaram até 1972 e meus sogros até a década de 80.
    Porém, o que recordo com gosto são os anos 50, tempos da minha infância/adolescência !

    Obrigada por seu saudoso comentário !

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Oi, Flora
    Li sua postagem no link indicado e adorei. É uma pena que eu tenha tão poucas informações sobre a família do meu pai.
    Procurando na web encontrei um site sobre a vila onde ele nasceu (Lobão da Beira), que tem muito material disponível, em fotos e vídeos. Vendo esse material descobri que não tenho como reconhecer minha família no passado - e muitos, nem no presente - porque da maioria nunca vi uma foto e de muitos nem sei o nome.
    É estranha essa sensação de "desenraizamento" que ficou em mim: da família de minha mãe sou a última viva e da família do meu pai sei tão pouco. Tvz, por isso, esteja (re)construindo vínculos nesse momento.
    Obrigada por mais esse viagem!
    Vc não imagina como foi importante pra mim.
    bj,
    Helô

    ResponderExcluir
  18. Olá flora!
    Meu nome é Bruno Prado, tenho 23 anos, mas amo ver fotos e videos entigos, principalmente de lugares que conheço. Fico maravihado quando vejo fotos como as que você postou. As vezes sinto que quero estar na época que estou visualizando. Amo ver os lugares, as pessoas e os carros. São épocas que considero melhores que hoje. Ví numa de suas fotos, a casa que moro hoje (a que você via pela janela, na rua do colégio santa cruz) Moro na rua piancó depois da tangará, naquela casa grande que aparece lateralizada na subida do morro. Estudei no colégio NABE antigo santa cruz. Amei ver as fotos e vou mostra-las a minha vizinha que mora aqui desde 1952, a dona Lília Pardon, que hoje mora em uma casa atrás da que eu moro e não aparece, pois, foi construida bem depois. Muito obrigado pela postagem, fiquei maravilhado com as fotos.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Helô:
    Fico muito feliz com isso ! É muito bom poder ajudar nessas "viagens"...

    Como a minha família - materna e paterna - sempre foi muito contadora de histórias, ficou fácil para mim ir juntando os retalhos dessa colcha de recordações.

    Beijo

    ResponderExcluir
  20. Oi, Bruno:

    Que alegria receber o seu comentário, principalmente vindo de alguém tão jovem !

    Eu também gosto muito de ver fotos e vídeos antigos e, muitas vezes, fico bastante emocionada.

    É bom saber que a grande e bonita casa ainda está de pé, após tantos anos passados !

    A dona Lílian deve ter histórias incríveis para contar, morando tantos anos no mesmo lugar !
    Quem sabe ela não possui fotos antigas ?

    Muito obrigada, Bruno, por sua tão importante visita. Adorei !

    ResponderExcluir
  21. Olá Nasci em nova iguaçú e moro em bonsucesso a 28 anos, e apesar se estar moderna ainda existes alguns lugares ainda charmosos pelas ruas jão torquatro, Maxwell, Roma, 24 de fevereiro, texeira de castro e muito mais.
    Obrigado por me relembrar da época que eu ia fazer compras na antiga elite e casas da banha, que já foi o mercado disco. onde hoje é o guanabara.

    ResponderExcluir
  22. Oi, Rogério:

    Fiquei feliz com seu comentário, pois é muito bom encontrar pessoas que gostam de relembrar o passado.

    Não vou à Bonsucesso faz muito tempo, mas pelas fotos que tenho visto na net, está quase irreconhecível para mim,principalmente o centro. Acredito que as ruas internas ainda estejam mais conservadas históricamente.

    Minha sogra nasceu, e viveu até casar, na rua 24 de fevereiro.

    Obrigada pela visita e comentário !

    ResponderExcluir
  23. Obrigada, por todas as lembranças que seu blog nos proporciona. Nasci em 1949 na Avenida Paris, onde morei até 1963, estudei no Luso Carioca , estudei ballet com uma professora na Av. Paris, e meu pai, Alfredo, viveu em Bonsucesso e trabalhou até os anos 60 na Loja do Juquinha. Ele é vivo ainda: imagine como é emocionante para nós rever essas fotos. Muito obrigada. Tudo de bom para voce. Ana Maria

    ResponderExcluir
  24. Que alegria receber seu comentário, Ana Maria !!!
    Moramos no mesmo bairro, na mesma época ! Quem sabe não nos encontramos em algum momento ?

    - Eu morei na Av. Paris entre 1948 e 1951.
    - Na Loja do Juquinha minha mãe gostava de fazer compras com o Eugênio, e minha sogra com o irmão do sr. Juquinha, que não lembro o nome.
    - Minha irmã estudou no Luso Carioca.

    Você não tem fotos antigas de Bonsucesso ? Se tiver, mande para mim, pois gosto de colecionar História.

    Muito obrigada pela visita.
    Beijo

    ResponderExcluir
  25. Essa última foto, aparece o predio ao lado do carro, onde fui criado, só saindo para casar. Tempos maravilhosos. Valeu

    ResponderExcluir
  26. Que bom Evelin, poder mostrar para v. esse prédio onde morou !
    Ele era novo quando meu pai comprou a casa ao lado, e conhecemos várias pessoas que ali moraram, nos anos 50 e 60.

    Obrigada pela visita e comentário !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se nao estou em erro,abriu ai uma pensao,e ao lado da pensao o tal Palacio das Novidades a q me referi no meu comentario mais abaixo...tudo mudou/tudo acabou!!!

      Excluir
    2. Se nao estou em erro,abriu ai uma pensao,e ao lado da pensao o tal Palacio das Novidades a q me referi no meu comentario mais abaixo...tudo mudou/tudo acabou!!!

      Excluir
  27. Postei o link do seu blog no meu facebook. Moro em Bonsucesso e adorei conhecer o meu bairro como era antigamente. Obrigada! Úrsula de Oliveira Neves.

    ResponderExcluir
  28. Lembro do Juquinho. Seu Eugenio, pai do meu amigo Marcus Aurelio, anos 70 e 80, certa vez me deu um canivete de propaganda da loja. Ainda tenho alguns chaveiros de la. Inccrivel. Rodeio o mundo e voltei para lah. Hoje moro na rua Mesquitela. Minha mãe, D. Laura nasceu e casou na Barros Barreto, filha do sr. Belmiro Costa. Lembram do Xepinha, a casa Chic, a Congragação Espirita Osvaldo Cruz (Av. Paris), etc... Sou feliz e suburbano. Parabens amiga pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de me identificar. Jorge Garcia. Estudei no Dilermando Cruz onde apos 35 anos reencontrei uma ex-colega de sala e me casei com ela. abraço.

      Excluir
  29. Obrigada pela visita, Úrsula !
    O Bonsucesso que eu conheci é muitíssimo diferente do que v. conhece. Até fico assustada quando vejo fotos atuais...

    Beijo, e não desista do seu blog !

    ResponderExcluir
  30. Oi, Jorge:
    Muito bom receber sua visita !
    O sr. Belmiro que v. fala é o mesmo que tinha a padaria ?
    O tempo vai passando, tudo mudando, mas ficam as lembranças da infância, não é mesmo ?
    Minha mãe ia comprar tecidos no Xepinha. E gostava de comprar roupas e cama/mesa na loja do Julinho, logo no início da Av. Paris, pertinho da loja de discos que existia ali, ao lado do cinema Paraíso.
    Recordações...

    ResponderExcluir
  31. Essa vida dá muitas voltas, não é mesmo, Jorge?
    Eu conheci meu marido quando fui estudar no Santa Cruz, com 13 anos, mas nem conversei com ele. Aos 15 reencontro-o no Curso Alvorada, onde estudei datilografia. Aí ficamos amigos e casamos, após 9 anos de conhecimento !!!

    ResponderExcluir
  32. Olá Flora! Parabéns pelo blog com tantas recordações lindas! Nasci em Ramos e morei em Bonsucesso algum tempo. Meu pai mora lá ainda e quando vou visitá-lo aproveito para matar saudades. É meu bairro do coração!
    Abraço,
    Elaine

    ResponderExcluir
  33. Recordar é viver, eu nasci em Manguinho e vivo em Manguinhos do mesmo lado da Praça das Nações até hoje, nasci em 1955, em 1960 fui estudar na escola 32 X Ruy Barbosa. Bom, tudo que queríamos comprar era em Bonsucesso, que era escrito "Bom-Sucesso", as compras era feita no Mercado Leão ou nas Casas da Banha, e tinha um armazém na esquina da Av: Londres. Bom, o tempo passou muitas lojas faliram, ou os filhos dos antigos donos escolheram profissões modernas!
    É sempre bom lembrar dos tempos antigos.
    É isso aí, Um abraço a todos que viveram ou ainda vivem ali em "Bom-Sucesso"!

    Luis Marrega.

    ResponderExcluir
  34. EU TAMBÉM FIQUEI EMOCIONADA AO VER ESSAS FOTOS . EU NASCIEM 1952 NO ANTIGO CAMINHO DE ITAOCA HOJE RUA AGUIAR MOREIRA , MINHA AVÓ MORAVA NA AV PARIS 324 UMA BELA CASA EM CENTRO DE TERRENO HOJE VIROU GALPÃO SO RESTOU O MURO DE PEDRA QUE SAUDADE. AO LADO AINDA EXISTE A CASA ANTIGA AMARELA DAS MINHAS AMIGUINHAS DE INFANCIA EU LEMBRO DO TAL LEÃO EMPALHADO ELE FICAVA NO ALTO DO TETO PENDURADO, SINTO MUITA SAUDADE DESSE TEMPO ÉRAMOS FELIZES E NÃO SABÍAMOS. EM 1958 FUI MORAR NA TRAVESSA HORACIO EM RAMOS E EM 1979 CASADA, MORO EM VILA ISABEL.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve dar uma saudade vendo estas fotos antigas né mesmo? ou relembrando uma época de nossas vidas que ficou pelo caminho. Mas a vida é assim mesmo

      Excluir
  35. Ola Flora, parabens pelo blog e em especial por esta postagem. Tenho uma pagina do facebook chamada "Um Coração Suburbano", onde compartilho fotos antigas dos bairros do suburbio carioca.
    Algumas dessas fotos que voce postou eu ja conhecia, outras não. Gostaria de poder compartilhar essas suas fotos na minha pagina, com os devidos creditos é claro. Voce autoriza? Voce pode visitar a nossa pagina, e ver como a gente homenageia nosso amado suburbio.
    Tambem temos nosso blog: http://suburbiosdorio.blogspot.com.br/. Estão todos convidados a nos fazer uma visita, tanto no blog quanto no face/um coração suburbano.
    Abraços e boa noite.

    ResponderExcluir

  36. Flora que bom que alguém fala de Bonsucesso, do início dos anos 50 pra cá mudou muito, mas muito mesmo, fui muito no Cine Paraíso e no "poeira" Bonsucesso e no Cine Melo, além do Higienópolis e do Leopoldina, que ficavam do "outro lado". A Casa Chic era frequentada por mães da época, correndo atrás do material escolar, livros como “Meu tesouro e Meus Exercícios”, ano a ano sem mudar. Eu nasci, mas depois fui morar fora do Rio, voltei e agora vou mudar de novo, está irreconhecível, fazer o que, é o POGREÇO! Valeu! Felicidades para vc e para os teus, de coração.
    Luis - luisleite1@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  37. Muito bom recordar um tempo que não volta ,mais.... meus parabéns Flora pela sua postagem. deve dar uma saudade vendo estas fotos antigas né mesmo? Mas a vida é assim mesmo...

    ResponderExcluir
  38. Oi, Elaine:
    Recordar é viver e adoro fazer essas viagens no tunel do tempo !
    Estudei em Ramos nos anos 1956 e 1957 no Externato Afonso Pena, na Rua Uranos, e guardo boas lembranças daquele tempo. Iamos e voltavamos à pé, atravessando a linha do trem para o outro lado e seguindo pela Rua D, Isabel. Ainda não existia o muro fechando a linha férrea.
    Lembranças, muitas lembranças...

    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  39. Oi, Luis Marrega:
    Meus irmãos estudaram no Ruy Barbosa ! Minha irmã no Luso Carioca - hoje Suam - e eu no Santa Cruz - hoje Nabe.
    Bonsucesso tinha um bom comércio, desde aqueles tempos idos.
    Hoje fico triste quando vejo a modernidade que ali está, tão diferente dos tempos calmos dos anos 50/60.
    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  40. Oi, Desconhecida:

    É mesmo emocionante ver essas fotos antigas ! Adoro !!!
    Também morei na Av. Paris, quando bem pequena. Dá muita tristeza quando descobrimos que belas construções do nosso passado não existem mais... A vida caminha, eu sei, mas seria tão bom poder ver essas casas de pé, do jeitinho que eram.
    Aquele leão do Armazém Leão era algo fascinante e assustador para minha visão de criança !

    Bom que gostou das fotos !
    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  41. Oi, Cleiton:
    Gosto de ver fotos antigas, de relembrar o passado, mas nunca esquecer que vivemos no presente e temos que planejar o futuro ! O passado serve como um guia para acertarmos os nossos passos.

    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  42. Oi, Luiz Carlos da Colina:

    Muito bom seu Um Coração Suburbano e acompanho sempre suas fotos e informações no Face ! Parabéns pelo belo trabalho.
    É importantíssimo esse trabalho de resgate da nossa história, e o seu é mais ainda pois é muito fácil encontrar fotos do centro e da zona sul do Rio, mas dos subúrbios não é tão fácil não !

    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  43. Oi, Luis Leite:

    É tão bom poder ver nosso passado nessas fotos antigas... Vivo procurando-as pela net e não são muitas que encontro, infelizmente. Porem no face do Luiz Carlos da Colina: Um Coração Suburbano tem fotos maravilhosas ! Uma emocionante volta ao passado.

    É muito bom encontrar pessoas que passaram pelos mesmos lugares, conheceram as mesmas lojas , frequentaram os mesmos cinemas !
    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  44. Muito obrigada, Cleiton, pelos comentários !

    ResponderExcluir
  45. Bom que gostou, Rodrigo Veloso !
    Obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  46. O Cine Bonsucesso, foi inaugurado em 18/02/1953 pela Empresa de Cinemas Leopoldina, com 400 lugares, sem ventiladores, cadeiras de madeira e a tela muito baixa atrapalhando a visão da projeção dos cinéfilos. O filme inaugural foi "CARNAVAL ATLÂNTIDA" com Grande Otelo e Oscarito.(Luiz Carlos/Indaiatuba/SP)

    ResponderExcluir
  47. Muito obrigada por suas informações, Luiz Carlos !
    Realmente o Cine Bonsucesso era um forninho, no calor do Rio de Janeiro, mas, ainda assim, assisti muitos e muitos filmes lá !
    Obrigada pela visita e comentário no meu blog.

    ResponderExcluir
  48. Flora adorei sou de 1961 mas meu espírito e nostálgico e eu adoro fotos antigas. Estou juntando dinheiro para viajar pra Cuba e tirar muitas fotos dos caros antigos que tem lá. Meus parabéns pelo excelente trabalho. Sucesso

    ResponderExcluir
  49. Oi, Anônimo:
    Bom que gostou, pois eu adorei fazer essa postagem ! Também amo fotos antigas, e histórias antigas e objetos antigos. Os carros antigos eram muito charmosos e em Cuba eles estão vivos, servindo como um grande cenário histórico.
    Obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  50. Querida....A Praça ainda é chamada de praça das Nações....moro aqui desde 1980.

    ResponderExcluir
  51. Caro Luiz:
    Depois de muita pesquisa, encontrei citações de que a praça que eu sempre conheci como Das Nações, agora era Augusto Mota, em homenagem ao fundador do Colégio Luso Carioca, hoje SUAM. Não entendi bem a qual Pç. das Nações estavam se referindo pois, quando eu morei em Bonsucesso, as 2 praças tinham o mesmo nome, como se uma fosse continuidade da outra. E lá no Largo de Bonsucesso, não existia praça, apenas um espaço largo onde as ruas Cardoso de Morais, Bonsucesso e Teixeira de Castro se encontravam. Hoje já vi em fotos que criaram algo semelhante a uma praça.

    Obrigada pela visita e ficaria feliz com maiores explicações sobre essa possível mudança de nome da Praça das Nações.

    ResponderExcluir
  52. No inicio dos anos 70, eu morava em Pilares e ia em Bonsucesso na famosa malharia Beth's ou Beth não lembro mais. Comprar camisas feitas em linha produzidas por maquinas de tecer, feitas sob medida, camisas tipo polo eram usadas em bailes as com uma lista no peito, geralmente em duas cores. Esse produto só existia em Bonsucesso. A loja ficava na praça das nações, no prédio da CEF. Infelizmente a memoria dessa loja não existe mais. Quem mora em Bonsucesso e sabe do que se trata, poderia resgatar nestas páginas tão raras deste site, uma loja que faz parte de um Bonsucesso que não existe mais.

    Anselmo Marine

    ResponderExcluir
  53. Oi, Anselmo:
    Realmente o Bonsucesso dos anos 70 já não existe ! Muito menos o dos anos 40, 50, e 60, que foi o que eu vivenciei !!!
    Moro fora do Rio desde 1991. E saí de Bonsucesso em 1969, indo morar em outros bairros. Pouco frequentei de lá para cá, e não lembro dessa malharia. Estou sempre procurando na net fotos antigas para acrescentar no meu arquivo de memórias, mas não são muitas fotos que encontro. Que pena...
    Muito obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  54. Meu nome é Jayr Baptista, eu nasci em Bonsucesso, e minha família ainda residem em Bonsucesso próximo da Praça das Nações até hoje, em 1960 fui estudar no Colégio conhecido na época pelo nome de Instituto Bonsucesso, que ficava em uma casa, já demolida em seu terreno há um Galpão, ficava estabelecida na Rua do mesmo nome. O diretor era o professor Paulo, eu atravessei muitas vezes Avenida Brasil para tomar banho de "Mar" na Praia de Inhauma, que ficava no final da Rua Guilherme Maxwel, existia um cais pequeno, que as embarcações ficavam atracadas para receber os passageiros para atravessia do canal para a Ilha dos Macacos (Ilha dos Pinheiro), ilha de pesquisa do Instituto Osvaldo Cruz, atualmente comunidade do Pinheiro, aterraram tudo, próximo ao local ainda tinha o aeroclube Brasil, mais tarde foi transferido para Jacarepagua, hoje Aeroporto da Barra. Tudo que queríamos comprar era em Bonsucesso, que era escrito "Bom-Sucesso", as compras eram feita no Mercado Leão ou nas Casas da Banha, e tinha vários armazéns, Mercearia Nacionais na esquina da Av. Roma c/Guilherme Maxwel, e na esquina da Rua Bonsucesso com a 24 de Fevereiro tinha uma Churrascaria. Bom, o tempo passou muitas lojas faliram, ou os filhos dos antigos donos escolheram profissões modernas! Quase tudo na area foram demolidas e transformados em galpões, as lindas casas com jardins nas Ruas: da Regeneração, Proclamação, Bonsucesso, Cardoso de Moraes, Teixeira de Castro, Aguiar Moreira, João Torquato e outras, já não existem mais, que saudade das quitandas, mercearias, butequim, açougues, cinemas e o circo que armavam na Rua Dona Isabel, há dos Clubes: Bonsucesso, York e os Taifeiros, quantos bailesbons fui nestes clubes, nos anos 60. Quanto adolescente embarcavamos aos domingos nos ônibus da Linha 901 - Bonsucesso X Bananal, para irmos a Praia na Ilha do Governador, pegavamos o trem para ir a festa da Penha, andavamos nas ruas na época sem medo da violência.
    É sempre bom lembrar dos tempos antigos.
    É isso aí, Um abraço a todos que viveram ou ainda vivem ali em "Bonsucesso"!

    ResponderExcluir
  55. Oi, Jayr:
    Muito bom receber seu comentário relembrando tantas coisas do bairro da minha infância/juventude
    O tempo passa, o mundo muda, mas nossas lembranças são eternas, levando-nos novamente para aquele passado tão distante, mas tão presente em nossas vidas...
    Eu sempre lastimo essas mudanças que põe por terra as construções antigas - muitas vezes belíssimas - em nome de um pretenso "progresso". Que bom seria se essas casas ainda estivessem inteiras, para mostrar aos mais jovens como era a arquitetura dos tempos idos ! E os jardins, então, nem se fala ! Com suas flores perfumadas - jasmins, rosas - eles eram lugares de beleza e paz para os moradores e para quem passava pela rua e podia admirá-los.
    Tenho uma foto na "praia" de Inhaúma, num domingo em que fui com meu pai e minha irmã. Mas nunca entrei nesse mar. Minha sogra contava que ia muitas vezes tomar banho de mar ali, e que era uma praia limpa, boa. Parece mentira que isso seja verdade, olhando como ficou o lugar após tantos anos de ocupação...

    Muito obrigada por sua visita ao meu blog. Seu comentário enriqueceu minha postagem sobre Bom Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  56. morei em bonsucesso por 25 anos hoje moro no espirito santo vendo essas fotos me bateu uma grande saudade obrigado flora um grande abraço

    ResponderExcluir
  57. Oi, Luiz Roberto:

    Eu também estou morando fora do Rio desde 1991, e de Bonsucesso saí em 1969. Mas as lembranças da infância/juventude persistem e é muito bom ver fotos antigas, daqueles tempos idos, pois hoje Bonsucesso está muito diferente.

    Muito obrigada por sua visita e comentário no blog.

    ResponderExcluir
  58. Gente, nasci em 1960 na Avenida Nova York no numero 91. Era a casa de minha avó. Albertina. Minha mãe se chama Cerize, tem 80 anos e está viva. Nasceu na Teixeira de Castro em 1934, mas mudou-se para a Avenida Nova York onde viveu até se casas em 1959 . A família dela era grande, 10 irmãos.
    Vou falar o nome deles, vai que foram amigos ou ao menos conhecidos de vocês: Esmeralda, Conceição, Marília (esta se casou com uma cara chamado Alberto que jogava sinuca na redondeza, vai ver que era lá naquele bar que foi comentado), Carlos, Timóteo, Geraldo, Marieta, Sebastião, Gilberto (o caçula).
    Será que alguém conheceu este pessoal?

    ResponderExcluir
  59. Ah! Esqueci de falar, nosso médico era o Doutor Toledo Pisa, que não sei como se escreve. Foi ele quem fez o parto de minha mãe, na casa de minha avó, porque ela passou mal lá e não deu tempo de ir para hospital.
    Ele atendia em um consultorio no fundo de uma farmácia, em uma rua grande e movimentada da redondeza que não sei o nome.
    Eu era pequena, tenho vagas lembranças de Bonsucesso.
    Mas quando ia visitar minha avó Beta, (apelido de Albertina), de trem, me lembro da praça das Nações e da lojas Brasileiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha avó falava muito nesse dr Pisa como era conhecido ele fez o parto do meu pai em casa tbm

      Excluir
  60. Oi, Anônimo do dia 27 de janeiro de 2015:

    Fiquei muito feliz com seu comentário !!!
    Claro que conheci a família de sua avó, pois morava na casa em frente, nº 100 ! Quando mudamos para lá, em 1956, eu tinha 12 anos, e sua avó ainda tinha 5 filhos solteiros. Convivi um pouco com a Marília, e com o Gilberto, que é mais ou menos da minha idade (nasci em 1944). Os outros rapazes eram mais velhos, o Timóteo e o Carlos. Lembro bem do Lauro e da Laura, que eram quase da idade do Gilberto - sobrinho da idade do tio é bem interessante !
    Lembro que vi o carro do casamento da sua mãe, ou da Marília - mas acho que era da sua mãe- saindo com a noiva, e o carro era todo forrado de cetim branco, como se usava naquele tempo. Lindo !
    Sua avó ficava às vezes na janela da casa e lembro dela, uma senhora com jeito de boazinha. Nossas casas eram bem em frente, mas não tínhamos o hábito de ficar indo na casa dos vizinhos, apenas conhecíamos e conversávamos na rua ou na porta das casas.
    E como estão os filhos da avó Beta ? Todos vivos e bem, além da sua mãe ?
    Lembro do Dr. Toledo Pisa, só de nome, pois o nosso era o Dr. Alexandrino e depois o Dr. Luiz Maia Filho.
    Meu pai tinha a Casa das Bolsas, ao lado da Sapataria Elite, que era do meu tio.

    Quantas lembranças gostosas... O tempo passa, mas elas estão presentes na nossa vida.
    Como disse o Paulinho da Viola: Eu não vivo no passado, o passado vive em mim...

    Muitíssimo obrigada pelo seu comentário ! Adorei, pena que não sei seu nome.

    ResponderExcluir
  61. Oi Flora,amei meu blog.
    Tb sou amante de Bonsucesso onde passei minha infancia/adolescencia...
    Na ultima foto q vc postou,no predio ao lado da sua casa era a loja da D.Cleria e Sr.Olinto,logo ao lado havia outra loja de roupa e no fim desse predio ficava a Sapeca,tb pertecente ao mesmo casal,eu morava no precio novo logo ao lado...
    Varia lojas q se refere eram pontos de referencia,um pouco mais novas mas q vc com certeza lembra.Palacio das Novidades/Lobras/Churrascaria Marius antes supermercado/Julio Bocoricim q era mesmo em frente ao meu predio...e por ai vao lindas recordacoes.
    Tb sinto essa mesma nostagia q sente,chega ate a doer por ter a certeza q o tempo nao volta atras,e muitas pessoas ja foram embora p o outro lado da vida...fica apenas no coracao as lembrancas q tenho,andando com minha turma por essas ruas na epoca ainda amistosas.
    Curti muito,estudava no colegio Luso Carioca,tinha um grupo de vizinhos do precio e na rua Nova York fantastico...de alguns ate hoje me relaciono.
    Uma de minhas melhores amigas e desse tempo e ja la vao 37 anos...tb tinha outra amiga q morava exatamente na vila q citou ,entra a NY e a Paris,amigos fantasticos na Av Bruxelas.Somos da epoca do Social Ramos clube,sou da epoca do Dr Rissa q nao podiamos nem falar o nome q ficava em outra vila entre a NY e Maxuel...
    Elite era ponto certo perto do Natal,onde lotava de tanta gente comprando...Tinha do lado da Elite uma lanchonete chamada Rico/Rique??!!Onde ficava o ponto do onibus p ir p Copacabana/Centro/Etc...Na porta do meu predio ficava uma parada de onibus...os q vinham de la p ca e onde tinha tb o pipoqueiro e a papelaria do Sr aDALTO,(SE NAO ME FALHA A MEMORIA??!!)...
    Meu primeiro namorado foi ai em Bonsucesso q encontrei,fazia parte dos tais vizinhos do predio...kkk!!!Com ele desbravamos imensos lugares secretos...kkkk!!!
    Curtia Biaca cantando Correndo da Chuva,novela Dancing Days/Estupido Cupido/etc...
    Pois Querida Flora,por hoje fico por aqui,as lembrancas sao infinitas,nao haveria papel p anotar todas,mas como o coracao nao tem tamanha...e la onde vivem.
    Amei sua iniciativa,e poderiamos criar um outro link com a turma q viveu nos anos de ouro em BONSUCESSO!!O q acha!!!Meu e-mail e maria_vitor_1967@hotmail.com Acho q todos poderiamos trocar historias diferentes,lindas e reais!!!
    Bjs...

    ResponderExcluir
  62. Oi, Maria:
    Que delícia receber seu comentário !!! Eu morei em Bonsucesso de 1948 até 1969. Meus pais até 1972, mas minha sogra ficou até a década de 80, então eu ainda visitava o bairro.
    Mas gosto de lembrar dele como era nas distantes décadas de 50 e 60, pois tudo vai mudando tanto que fica difícil reconhecer o lugar da nossa infância...
    Você deve ser da idade da minha filha (1967), e não conheceu o Bonsucesso mais antigo, como eu não conheci o da sua juventude. Mas muitas lojas atravessaram décadas e várias gerações as conheceram. A Elite foi uma delas, pois nasceu em 1948 e ainda existia há alguns anos, não é mesmo ? Lembro bem da Papelaria do seu Adalto. Outra loja que lembro no prédio ao lado da minha casa, você não conheceu certamente, era de 2 irmãs e só vendia meias. A casa dos meus pais virou restaurante, e depois loja de colchões !
    Gostei muito da sua visita e das suas lembranças.
    O meu tempo está curto para tanta coisa boa para se fazer ! Nem tenho feito postagens no blog...
    Mas posso conversar um pouco aqui pelo blog. É sempre muito bom ler os comentários.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flora.Que legal q vc comentou o q escrevi!!
      E muito bom dividir sentimentos com quem sente o mesmo...
      Vamos nos falando sim,como tb a todos q comentaram o blog e bem legal isso.
      Mil bjs.

      Excluir
  63. Oi, Maria:

    Eu procuro sempre responder os comentários, e quando não faço é porque esqueci ou o tempo foi curto. Gosto de interagir com quem comenta o que eu escrevo, e fico muito feliz com o resultado dessa troca de palavras e lembranças ! Nunca pensei que essa postagem sobre Bonsucesso tivesse tanta repercussão, nem imaginei que tantas pessoas conhecessem esse subúrbio carioca...
    Obrigada pela resposta. Beijos

    ResponderExcluir
  64. Flora, boa tarde!!!

    Estou tentando fazer contato com você já faz algum tempo. Sou comerciante do bairro de Bonsucesso e estou montando um painel com fotos antigas do bairro. Achei o seu blog, porém a resolução das imagens é muito baixa, tornando impossível sua impressão em um tamanho legal. Existe alguma possibilidade de conversar com você por email ou telefone?

    Meu nome é Diego e meu telefone é (021) 98121-1128.
    diegodegering@gmail.com

    Aguardo sua resposta!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diego! Onde fica sua loja? Como está o painel?

      Excluir
  65. Olá Flora, adorei suas recordações! Nasci e moro em Bonsucesso, sou de 82 mas lembro bem do Nosso Restaurante, Elite, Juquinha, Papelaria América, Lobras (Lojas Brasileiras), Casas da Banha, depois Serra e Mar... Meu pai era dono da Padaria Bonsucesso, esquina da Cardoso de Morais com a Guilherme Maxwell, lembra?

    ResponderExcluir
  66. Oi, Diego, ando bastante ocupada, por isso ainda não escrevi para você. Aguarde mais um pouquinho, por favor.

    ResponderExcluir
  67. Oi, Alda Paula:

    Eu conheci essa padaria quando o dono era o sr. Belmiro, isso lá nos anos 50 ! Ele tinha uma filha chamada Esmeralda, que foi minha colega de colégio, e um filho chamado David. Não sei se tinha outros filhos.
    Será que sr. o Belmiro é da sua família ?
    Eu saí de Bonsucesso em 1969 e meus pais em 1972, mas minha sogra ainda ficou morando até o início da década de 80. Porém ela morava "do outro lado da linha", na Av. Itaóca, então eu não ia mais na Praça das Nações e arredores. O comércio foi mudando, e eu só lembro bem daquele Bonsucesso da minha infância/juventude, dos anos 50/60.
    Obrigada pela visita ao meu blog e pelo comentário.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  68. Olá Flora. É um prazer imenso ler tantos depoimentos sobre a vida em bonsucesso em uma época bem diferente da minha. O assunto que mais me chamou a atenção foi sobre a praia de Inhaúma. A sua foto é a única que conheço de alguém nela. Fico impressionado com a falta de imagens e estudos relacionados à enseada de Inhaúma, um braço da baía que ia das Ilhas que formariam mais tarde o Fundão até quase em Benfica. Ando no Complexo da Maré imaginando como era o local antes de toda a ocupação desordenada que ocorreu. Imagino também até que ponto a degradação do meio ambiente pode mudar a natureza. Hoje no local que você tirou a foto existe um conjunto habitacional chamado Bento Ribeiro Dantas, atrás dele existe uma rua chamada até os dias atuais de praia de Inhaúma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, J.S.
      Eu também fico muito impressionada com a falta de informações quando faço minhas pesquisas ! Chega a ser engraçado quando eu, procurando por algo no Google, encontro as respostas no meu próprio blog!!!
      Minha sogra tomava banho de mar na praia de Inhaúma ! O que o Homem faz com a Natureza não tem perdão. Vendo fotos antigas e lendo como eram os lugares nos tempos idos, dá até vontade de chorar... O Homem derruba montanhas, aterra várzeas, mangues, praias. Mas tudo fica feio, pobre, sujo, poluído e triste...
      Restam as fotos e os relatos para contar como eram as cidades antes do "progresso" chegar...
      Muito obrigada por seu comentário.

      Excluir
  69. Eu nao sou desse tempo mais nasci e me criei em bonsucesso mora aqui ainda graças a Deus moro na guilherme maxwell.tenho muita saudade do meu tempo anos 80.essas fotos me lembraram do meu pai

    ResponderExcluir
  70. Oi, Minhas Imagens total:
    Recordar é viver e as fotos e histórias antigas nos levam para um passado que, muitas vezes, nem é nosso, mas de nossos familiares. Gosto muito de relembrar esses tempos tão antigos...
    Obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  71. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  72. Minha infância foi desde que nasci até os 8 anos. Estudei no luso carioca ali na Paris meus irmãos estudaram no Rui Barbosa e no Pedro Lessa. Meu país trabalhou por muitos anos na Elite calçados e minha tia na Elite jeans. Ou seja, tivemos momentos maravilhosos em Bonsucesso. E o carnaval? Era muito bom! Saudade dessa época!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, anos 80:
      Recordar é muito bom ! Quando os lugares mudam, resta-nos as memórias, as fotos, as histórias familiares.
      Muito obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  73. Eu vivi em bonsucesso, na rua 24 de fevereiro, casa 2. Ao lado de uma garagem de ônibus. Era uma antiga vila de 5 casas (se não me engano). Meus vizinhos, que me lembro pelos nomes eram: Dona emília e sua família que moravam na última casa. Meus pais, eu e minha irmã, na penúltima. A família da casa ao lado da minha já não lembro. E então vinha a Dona Ioió e o sr Alício. Tinham dois netos, um que eu chamava de Minolo (apelido, acredito) e o Leandro, mais novo. E na casa mais da frente, a dona Edna. Isso lá nos idos de 83 s 86. As casas foram demolidas, infelizmente, pois a tal garagem foi vendida para outra empresa que precisava ampliar o tamanho. E eu perdi grande parte do meu passado, dos meus amigos e dessa turma. Seria muito bom voltar no tempo um dia.

    Se alguém tiver contato dessas pessoas, gostaria de um dia encontrá-las.
    Abraços

    ResponderExcluir
  74. Oi, Eduardo Chiletto:
    Mais um morador desse bairro do subúrbio da Leopoldina - como dizíamos antigamente !
    Muito bom você preservar essas lembranças de um tempo da sua vida. Muitas pessoas esquecem...
    Triste é ver que os lugares não existem mais ! Eu estudei no Santa Cruz, hoje Nabe, na Rua Uranos, e lastimo profundamente que ele não exista mais como era nos anos 50/60 do século passado ! Existe o lugar, mas a parte mais antiga já tinha sido demolida mos anos 80, para construir algo novo.
    Muito obrigada pela visita ao meu blog e pelo comentário !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu blog foi o mais próximo do meu passado que eu consegui chegar apesar de ser mais ambientado algumas décadas antes. Ler seu texto, ver que ali onde vivi parte importante da minha infância, um dia foi possível conhecer por nome o dono da venda, da lojinha X ou Y. Que época boa devia ser! Pena estar tudo mudado. Pena a vida fazer isso conosco. Mas... Faz parte do show! :-)

      Excluir
  75. Oi, Eduardo:
    São comentários como o seu que me fazem ir aumentando a postagem ! Hoje acrescentei mais 3 fotos e algumas informações.
    E isso é uma forma de exercitar a memória e de enriquecer a memória de Bonsucesso !
    Obrigada pelo comentário e pelo incentivo.

    ResponderExcluir
  76. Estou aqui chorando Rios de lágrimas em saber que o Bairro em que me criei foi tão Lindo no Passado,meus parabéns pelas relíquias fotográficas do Bairro de Bonsucesso!

    ResponderExcluir
  77. Oi, Wagner:
    Bom que gostou de saber como era Bonsucesso em tempos tão antigos ! Eu,que sou bem antiga, me surpreendi vendo o bairro na década de 20!
    Obrigada pela visita ao blog e pelo comentário.

    ResponderExcluir
  78. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  79. Olá, Dona Flora Maria!
    Estou muito contente de ter descoberto essas histórias maravilhosas sobre o bairro de Bonsucesso! Eu já morei no Morro do Adeus e tenho muito orgulho disso! Estava com uma sensação de vazio histórico, pois em outras áreas da cidade como Tijuca, Centro ou Zona Sul, têm evidências do passado e a nossa Querida Zona da Leopoldina, quase não há documentos.

    Muito obrigado por esse grande resgate em que a senhora está fazendo pela nossa região!

    ResponderExcluir
  80. Eu morei na misteriosa casa que fica tem entrada na Paris e tbm na Nova York, hehehe

    ResponderExcluir
  81. Oi, Carlos Augusto:
    Realmente é mais difícil encontrar fotos dos subúrbios do Rio, mas no Face Um Coração Suburbano tenho visto fotos maravilhosas!
    https://www.facebook.com/umcoracaosuburbano/?fref=ts

    Essa postagem, que começou pequena, foi enriquecida por depoimentos de muitas pessoas e acabou ficando bem maior e cheia de informações importantes!
    Obrigada pela visita e comentário!

    ResponderExcluir
  82. Oi, George Harrison:
    Eu gostava muito daquela vila, das casas na Av. Paris e daquela passagem entre uma rua e a outra!
    Obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  83. Nasci em 1986

    vendo Bonsucesso nos anos 40, 50, 60 e 70 onde o comércio era extremamente familiar e mais organizado com o Bonsucesso de 2016 onde o progresso e a modernidade chegaram com prédios enormes e com diversos andares substituíndo diversas casas tradicionais só este ano na Rua Cardoso de Moraes foram 3 casas demolidas(e também por exemplo : chegada do BRT Transcarioca (o BRT passa por Olaria, Ramos e Complexo da Maré mas não diretamente em Bonsucesso) e o Teleférico do Alemão (com estações em Bonsucesso, Adeus e Baiana), estações de trens de Bonsucesso e Manguinhos foram recentemente modernizadas e finalmente o Complexo do Alemão e as comunidades de Manguinhos e Mandela também tiveram obras do PAC através do programa Minha Casa Minha Vida) mas chegou também a miséria (alguns comerciantes fecharam as portas neste ano de 2016 devido á crise econômica do Brasil) , o abandono (mendigos nas ruas), a pobreza (por exemplo : camelôs tentando vender honestamente os seus produtos mas são impedidos de maneira truculenta pela Guarda Municipal) e o consumo de drogas que veio junto é completamente um outro bairro

    Colégio Nabe (ex- Santa Cruz)eu estudei entre 2004 e 2005

    ResponderExcluir
  84. Flora tive uma surpresa ao ver seu Blog,motivo de grande felicidade e muita emoção em rever o lugar aonde passei minha infância e saber que estudei com você gostaria de ter contato em seu face.Fique com Deus e obrigada em ter me proporcionada esta felicidade.

    ResponderExcluir
  85. Oi, Marcus Aurélio:
    Eu vivo no presente, projeto o futuro, mas adoro relembrar o passado! E tenho uma enorme tendência de achar os tempos idos mais bonitos, especialmente a arquitetura das cidades.
    O dito "progresso", em muitos casos traz mais problemas do que soluções. O crescimento dos bairros, a derrubada de construções antigas para o surgimento de grandes edifícios, a pressa que tomou conta dos Homens, faz com que o mundo se transforme de maneira assustadora!
    Mas, como é aqui e agora que vivemos, resta-nos relembrar os tempos mais tranquilos...
    E, sonhar com o retorno desses tempos. Nada é impossível, não é mesmo?
    Obrigada por seu comentário.

    ResponderExcluir
  86. Oi, Esmeralda:
    Você é a filha do seu Belmiro? Tem um irmão chamado David?
    Procurei no Face alguma Esmeralda Cavalcante e encontrei uma do Rio. Será você?
    Aguardo sua resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Flora,e com imensa felicidade e quero confirmar que realmente sou a Esmeralda Cavalcante sua colega do Colégio Luso Carioca,filha do Sr.Belmiro meu saudoso pai ao qual amava muito,porem não tinha um irmão Davi,eramos em 4 irmão o Ailtom que chamavam de Padeirinho O José Joaquim,minha irmã Licinha e eu. Não respondi antes porque estava com problemas no face.Tive uma surpresa maravilhosa ao rever um caderno que no nosso tempo usavamos para que cada colega deixasse uma poesia etc.lembra? é e. cada página eu escrevia o nome do colega que iria fazer a dedicatória,entao encontrei o seu nome assim Flora,acredito que seja você,com esta volta ao passado estou muito feliz e agradecida a você que Deus me enviou para quem sabe um dia até encontrarmos outros colegas.Fique com Deus.

      Excluir
  87. Oi, Esmeralda:
    Vamos ver se acertamos nossas lembranças !
    -Eu lembro de ter estudado com uma Esmeralda que era filha do seu Belmiro da padaria, mas não estudei no Luso Carioca, e sim, no Santa Cruz. Minha irmã Nelia estudou no Luso Carioca.

    -Eu achava que v. tinha um irmão chamado David, porque uma amiga - que morava no edifício em frente da padaria - me disse que namorou um David e, nas minhas lembranças, ela teria dito que ele era filho do dono da padaria.

    -Você é a Esmeralda Cavalcante que encontrei no Face ? Eu escrevi para ela perguntando se era a pessoa que tinha visitado meu blog.

    - Meu marido diz que jogou futebol de salão, no Bonsucesso, com um rapaz que tinha o apelido de Padeirinho!
    Seria seu irmão?

    Muito bom essas descobertas do passado !
    Aguardo sua resposta.
    Abraço

    ResponderExcluir
  88. Boa noite Flora quanto ao meu irmão pode ter sido ele,pois frequentava o Bonsucesso,mas não estudei no Santa Cruz e sim no luso Carioca e também o Pedro Primeiro que ficava na rua Uranos,tambem tive aula de acordeom com a mesma professora que você estudou e citou no seu blog,e também naquela escolinha da Cardoso de Morais também citada no blog,fiz um resumo sobre algumas lembranças sobre Bonsucesso,depois viu lhe enviar,agora estou com pouco tempo pois estou organizando minhas Bodas de Ouro que será no dia 17 próximo.Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  89. Oi, Esmeralda:
    QUE LEGAL!!!
    Eu achava que tinha estudado com você na escolinha da D. Mariazinha (estudei lá cursando o 1º e o 2º ano primário, nos anos de 1951 e 1952).

    Não achava que tivesse sido no ginásio, que cursei no Santa Cruz. Mas, com tantos anos passados, podia estar esquecida. Agora, com você falando, estou relembrando que estudamos com a d. Lúcia! Eu estudei acordeon, e depois piano, mas nunca toquei nada!!! Lá estudava também a Sueli, que morava no Rua Bias Fortes e era minha amiga.
    Quanto ao seu irmão, deve ter sido ele que meu marido conheceu. E como ele está?
    Nossa... quantas lembranças! Que bom...

    Organize suas Bodas de Ouro, pois é muito bom poder comemorar tantos anos de casamento. Eu preferi viajar, e comemorei também num dia 17, mas de setembro!
    Adorei encontrar você!!!
    Beijo
    Flora Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Flora me mande seu Facebook

      Excluir
    2. Meu face é Esmeralda Cavalcante,minha foto é junto com meu marido.Beijos

      Excluir
  90. Oi, Esmeralda, diga qual é o seu, pois encontrei uma Esmeralda Cavalcante no Face, escrevi para ela, mas não me respondeu. Será você?

    ResponderExcluir
  91. Boa noite Flora.
    Meu Facebook é este mesmo, minha foto estou com meu marido.Me mande o seu. Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  92. Flora Maria, muito bonita as fotos, postadas gostaria de saber se não teria do Bonsucesso Futebol Clube.abraço.

    ResponderExcluir
  93. Oi, Ronaldo, infelizmente, não tenho fotos do Bonsucesso Futebol Clube.
    Meu marido - que jogou no Bonsucesso, futebol de salão juvenil nos anos 60/61 - tem um blog onde conta histórias da sua infância/adolescência, quando morou lá. Você vai gostar!
    Na postagem do dia 7 de novembro de 2008, tem uma foto.
    www.marraioferidosourei.blogspot.com.br/2008/11/num-domingo-qualquer.html

    ResponderExcluir
  94. Parabéns Flora, sempre me emociono quando visito esse blog. Obrigado!

    ResponderExcluir
  95. Obrigada, Carlos, pelo comentário ! Ele me incentiva a continuar.

    ResponderExcluir
  96. Parabéns Flora! Suas memórias, e a forma como vc as descreve nos fazem viajar no tempo! Alías, pretendo fazer uma exposição sobre os 130 da zona da leopoldina. e estou procurando imagens daquele passado! Consegui chegar até 1904. mas, ainda não terminei minha busca! Adoraria ter fotos do seu acervo para enriquecer ainda mais essa exposição! Podemos entrar em contato p/ que eu possa te dar mais detalhes. oque acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Valmir, pode copiar as fotos aqui do blog, só colocando a fonte, quando forem minhas, pois as outras eu peguei na net.
      É muito bom viajar no tempo, não é mesmo ?

      Excluir
  97. Muito bom Flora , adorei a foto da Rua Paris em 1949,adoro o bairro, parabéns.

    ResponderExcluir
  98. Bom que gostou, Anônimo de 17-7-17 !

    ResponderExcluir
  99. Boa tarde Flora. Me emocionei ao rever as fotos de Bonsucesso da minha infância. Sou o Juquinha, filho do seu Juca, dono da Loja Modelo do Juquinha. Trabalhava lá como caixa nas férias de dezembro. Relembrei do meu prato predileto do restaurante do Manoel: file com fritas e farofa de ovo. De minha mãe comprando tecido no Fuad e sapato na Elite. Morava na rua Tangará. E estudei no Pio XI , Colégio Rui Barbosa em frente à igreja das Mercês. Depois fui para o Curso Alvorada da professora Valmira.

    ResponderExcluir
  100. Oi, José - ou Juquinha:
    Que deliciosa volta ao passado, não é mesmo ?
    Tive uma colega chamada Sheila, que -acho - era filha do seu Juquinha. Eu, bem pequena, brincava com ela na casa da minha tia Maria (esposa do Manoel, proprietário da Sapataria Elite), ali na rua Dona Isabel. Ao lado da casa da minha tia tinha uma casa grande e antiga que era da avó da Sheila. Me corrija se estiver errada, mas é essa lembrança que tenho.
    Lembro que a Walmyra era amiga da esposa do seu Juquinha - Ilná?
    Eu estudei datilografia no Curso Alvorada, em 1960/1961.

    Por causa dessa postagem, reencontrei a Esmeralda, filha do seu Belmiro, da padaria ! É muito bom quando nosso passado vai se unindo ao nosso presente e nos presenteia com surpresas e encontros mágicos...

    Muito obrigada pelo seu comentário !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheila é minha irmã. Mora no rio ainda. Minha mãe é a Lená. Eles moravam na dona Isabel antes de morar na Tangará. Tenho algumas fotos e poderia te enviar se quiser.

      Excluir
    2. Oi, José Marques:
      Acho que a Sheila não lembra de mim, mas eu lembro dela ! Diga que mandei um abraço para ela! Claro que eu gostaria muito de ver fotos antigas ! Você ainda mora em Bonsucesso ?

      Excluir
  101. Sou de uma outra época, mas é sempre ótimo recorder. Meus pais se conheceram em Bonsucesso, casaram e viveram muitos anos por lá. Nasci na Av. Nova York, em um Hospital que tinha perto do Clube York, no ano de 68, e morei em uma vila desta mesma rua por 11 anos. a vila ainda está lá. Também estudei no Ruy Barbosa. Minha mãe fazia compras no Gaio Mart (é assim que se escreve?) e nas Casas da Banha. Lembro do palácio das Novidades, do Juquinha, da Casa Chic da Elite, do Nosso Restaurante, da quitanda do "Seu" Almeida, na esquina da Nova York com a Roma, da papelaria do Adauto, do Xepinha, da padaria que ficava na esquina da Praça com a Cardoso de Moraes, da lojinha que meu pai comprava alpiste para os passarinhos dele, na Baturité. Tantos amigos espalhados pela Av. Paris, Bruxelas, Roma e Londres. Que saudade...

    Jacqueline

    ResponderExcluir
  102. Oi, Jacqueline:
    Eu morei em Bonsucesso até fevereiro de 1969, mas alguns familiares ainda ficaram por mais tempo. O hospital que v. nasceu seria o do IAPETEC (Hospital Geral de Bonsucesso) ? Ele fica na Av. Londres.
    No seu tempo ainda existiam algumas lojas do meu tempo... E recordar é muito bom!
    Muito obrigada pelo comentário, que valoriza ainda mais essa postagem sobre Bonsucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flora. Eu não lembro o nome do Hospital, mas era ali mesmo na Av. Nova York. Eu até brinco com as pessoas dizendo que nasci em Nova York, kkkkkkkkkkk, só que na velha Av. Nova York mesmo. O IAPETEC está de pé ainda, com o nome que mencionou, mas o Hospital que nasci já não existe há muito tempo. Ele ficava perto do Clube York e de uma vila. Aliás naquela época havia muitas vilas por lá. Eu mesmo morava em uma. Velhos tempos... Se você saiu de lá em 69 e morava na Nova York tb, talvez conhecesse meus pais: Sidney e Lecy.
      Grande abraço.
      Jacqueline

      Excluir
  103. Eita que agora foi fundo !!!! Anos 70....Morei na Rua Cardoso de Morais, 55,predio onde ficava a Sua Majestade Roupas. Trabalhei na Eletro Bazar,de propriedade de Antonio de Lemos Lopes, na Rua D.Isabel.Ao lado tinha uma Sorveteria, e depois a Cia. Tecidos Santa Isabel(Xepinha).Tinha um estacionamento nesta rua, e quem tomava conta dos carros era uma figura chamada Jacaré.Estudei no Ruy Barbosa. depois no Gama E Souza. Comprava biscoito Aymoré no Mar e Terra, e fazia lanches no Rick´s. Ia aos Bailes do Bonsucesso F.C., chegava tarde em casa,sem medo de ser assaltado.Infelizmente, o progresso é inexorável, mas nem sempre é bom.

    ResponderExcluir

RECEBER SUA VISITA É MUITO BOM !
LER SEU COMENTÁRIO, É MELHOR AINDA !!!