domingo, 28 de julho de 2019

BOLOS SEM GLUTEN, E SEM LACTOSE - Especialmente para Márcia Côrtes Duarte !

 No Seminário de Inverno - 27 de Julho de 2019 - fiz um bolo salgado e um doce, receitas novas, com os participantes servindo de cobaia...
Sem farinha de trigo ou leite. Seguem as receitas, a pedidos dos que experimentaram.  Também gostei!


BOLO DE FUBÁ COM BANANA:
Bata no liquidificador: 3 ovos, 1 xícara rasa de óleo, 2 bananas.
Misture 3 xícaras de fubá, 1 x de acúcar, 1 colher de sopa de maizena.
Misture os dois, bata um pouco, e depois acrescente 1 colher de sopa de fermento.

Unte uma forma com óleo, e polvilhe com açúcar.  Coloque a massa e asse por, mais ou menos, 30m, mas vá acompanhando o cozimento, pois cada forno tem uma temperatura.

 COBERTURA:  Suco de 2 laranjas e açúcar.  Fure o bolo com garfo, e despeje a calda lentamente, para penetrar bem. 

DICAS:
- Ligo o forno antes de começar a preparar o bolo, ficando uns 20 minutos para aquecer bem.
- Coloco um pouco de água quente no liquidificador, para "limpar" e aproveitar o restinho de massa.
- Usei só 2 bananas, porque tinha poucas, mas pode colocar umas 3, 4, 5. Ficará mais saboroso.
- A calda de laranja fica muito especial, deixando o bolo molhado e saboroso.





BOLO SALGADO COM FARINHA DE ARROZ.
Bata no liquidificador: 1 xícara de água, 1/2 xícara de azeite, 2 ovos. 1 xícara de farinha de arroz, 1 colher de sopa de maizena, 1 colher (de chá) de sal.  Depois acrescente 1 colher sopa rasa de fermento e misture.
Unte forma com óleo, ponha metade da massa, ponha o recheio, e cubra com o restante da massa.
RECHEIO:  piquei 1 tomate, juntei 1 dente de alho amassado, e sal e azeite.

Asse, em torno de 30 minutos, até dourar.

DICAS:
-Ficou pequenino, e de outra vez farei o dobro, pois acabou rapidinho !
-O Bolo Salgado é esse que está junto da salada de alface e tomate, na foto.

Experimentem, e digam se deu certo.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

A ALDEIA DO PAPAI NOEL DE PENEDO

 Dezembro mexe com minhas emoções, desde tempos imemoriais...
Nasci em Dezembro e esse mês possui, para mim, a magia e encantamento do Natal, tem cheiros característicos e deliciosos,  e a ansiedade da espera por novos tempos.  Também trás a tristeza de fim de um ano, de um ciclo. 
Em busca dessa magia natalina, em Dezembro de 2016 visitei Campos do Jordão, cidade belíssima, onde a decoração do Natal é emocionante.


 Nesse ano, fui espiar como é o Natal em Penedo,  a encantadora Aldeia Finlandesa em terras brasileiras.
Gostei ! Em especial o Shopping Pequena Finlândia, onde as construções retratam as casas finlandesas e as flores fazem parte do cenário. Em Dezembro, fica tudo mais bonito ainda !
 No portal da entrada, um Papai Noel gigante, de braços abertos, saudando os visitantes. E como tem visitantes ! Difícil conseguir fotos sem pessoas...

 Cabanas de troncos, servem para venda de produtos e enfeitam ainda mais a Aldeia.

As "lojas" são como casas, com direito a varandas enfeitadas.

 E é claro que todas elas estavam lindamente natalinas"

 Muitas lojas tem nomes finlandeses.

 Agência dos Correios.

A Casa de Papai Noel, numa das cabanas de troncos, pode ser visitada, e é o próprio que nos recebe na porta !


 Arte também tem na Pequena Finlândia!

Adoro essa loja e  tudo que tem nela para venda ! Por fora, trepadeiras na varanda.


 Outra loja com nome finlandês.

 Interior do Empório Rural Penedon: só delícias, numa loja muito decorada!

 As bolas coloridas, cobriam o céu da Pequena Finlândia.

Essa foto foi tirada na sexta feira.  No sábado, só se viam pessoas andando, fotografando, e ficando felizes com a beleza da decoração.  Um número enorme de crianças circulava pelas ruas.

 E tudo estava com luzinhas !


Outra loja com nome finlandês, e esse eu sei o significado: Aurinko é sol.

 Loja de chocolate. Ai, ai...

 Vista da rua, mostrando as construções da Pequena Finlândia e a decoração natalina.

E na Aldeia, ainda tem esse canal repleto de peixes ornamentais, além das varandinhas e das flores!


Pequenas cabanas foram adicionadas, para venda de produtos e informações turísticas.

 Tonttulakki. Essa loja é uma verdadeira perdição - chocolates deliciosos e lindos, nos tentando prá valer!


Interior da loja Tonttulakki que significa “gorro do gnomo”.

Para quem ama o Natal, passar uns dias envolvida na magia e decoração que nos remete a lugares distantes e frios, como as aldeias européias, é um verdadeiro presente de Papai Noel ! 
Mesmo no nosso calor brasileiro...

terça-feira, 28 de novembro de 2017

SEMINÁRIO PRIMAVERA/VERÃO 2017

 No dia 25 de Novembro de 2017, tivemos mais um Seminário de Numerologia da Alma, no nosso Sítio Lenda Pessoal.
E é sempre uma alegria receber os participantes, que vem de lugares diversos e, às vezes, muito distantes!
Poder oferecer um dia diferente, num lugar simples, mas cercado de verde e paz, é muito bom!
Obrigada pela presença de vocês !

 A mesa,  em clima natalino, pois aqui em casa é Natal o ano inteiro!

 A turma reunida na "garagem do saber", como batizou Márcia Côrtes, aluna e amiga querida. Chão de terra, melhor dizendo, areia, pois nossa área é bem arenosa.

 O cardápio desse Seminário foi de saladas variadas e rocambole de proteína de soja.  Vegetariano.

 A turma: Avelino, Deuzu  (que veio diretamente de Recife!), Ruyter, Luciana, Humberto e Vera.
Atrás, João Sérgio, Érica e Gilberto, o Numerólogo.

 As cores do Natal alegram a mesa!

 De manhã, merenda com chá caseiro e biscoitos.


 Hora do almoço! Vamos comer?

 Sobremesa, suco, água mineral.

 Paradinha para foto!
 
 Experimentando a comida...

  Será que gostaram?

 De tardinha, o café. Café especial, da Unique, marca premiada!

Biscoitos quase caseiros..., Do Mercado Municipal. Mas o bolo foi feito por mim!

Café com prosa.  Muita prosa, dessa turma ótima que participou do último Seminário do ano.
Em 2018 tem mais!

domingo, 17 de setembro de 2017

CIDADES DO BEM VIVER - Sonho ou Realidade?

"Tá tudo errado" !!!
Sim, mas é possível consertar os erros, e descobrir que já existem lugares que optaram pelo "BEM VIVER" !  Começou na Itália, e o movimento vai se espalhando pelo mundo todo.  Espero...
Veja como ser uma cidade do Bem Viver:

Para ganhar o título do "bem viver", as cidades precisam cumprir 55 metas. Entre elas, ajudar pequenos investidores a defender produtos locais. A ideia é promover mudanças de mentalidade e estilo de vida da cidade.

1-Promover e difundir a cultura do bem viver através de pesquisa, experimentação e aplicação de soluções para a organização da cidade.
2-Atuar políticas ambientais para manter e desenvolver as características do território e do tecido urbano, valorizando, em primeiro lugar, as técnicas de recuperação e reutilização.
3- Atuar política de infraestruturas que valorize o território e não a sua ocupação.
4-Qualidade do ar, da água e do solo devem respeitar os parâmetros fixados por lei.
5- Promover e difundir a colheita diferenciada do lixo sólido urbano.
6- Promover a compostagem (decomposição controlada de resíduos) industrial e doméstica.


7- A prefeitura deve garantir uso de depurador municipal de águas residuais.
8- Atual plano municipal de economia de energia, com especial referencia ao uso de fontes energéticas alternativas e renováveis.
9- Incentivar a produção e uso de produtos alimentares obtidos com técnicas naturais e compatíveis com o ambiente, com exclusão de produtos transgênicos.
10- Plano regulador do uso e distribuição de placas e cartazes na cidade

11- Usar sistema de controle da poluição eletromagnética.
12- Aplicar programa de controle e redução de poluição sonora.
13- Usar sistema e programa de controle da poluição luminosa.
14- Adotar de sistemas de gestão ambiental.
15-Aprovar programas de intervenção para preservar e recuperar os centros históricos e obras de valor cultural e histórico.
16- Adotar projetos para mobilidade segura e políticas para incentivar alternativas ao transporte privado, a integração do tráfego com os meios públicos e as áreas exclusivas de pedestres, ciclovias e vias exclusivas a pedestres para acesso a escolas, locais de trabalho, etc.
17- Criar ciclovias entre escolas e edifícios públicos.

18- Controlar as infraestruturas para garantir o uso de locais públicos a pessoas portadoras de deficiência física, abatimento de barreiras arquitetônicas e acesso às tecnologias.
19- Promover programas para facilitar a vida familiar e as atividades locais como esporte, recreação, atividades que visem unir família e escola, assistência domiciliar a idosos e doentes crônicos, plano de organização dos horários da cidade e banheiros públicos.
20- Criação de centro de assistência médica.
21- Instalação de áreas verdes de qualidade e infraestruturas de serviços.
22- Atuar plano de distribuição de mercadorias e criação de centros comerciais naturais.
23- Estabelecer acordo com os comerciantes para recepção e assistência a cidadãos carentes: “loja amiga”.
24-Atuar melhoria das áreas urbanas que estão em más condições e projetos para reutilizar a cidade.

25- Intervir para a melhoria urbanística e promover uso de tecnologias com o objetivo de melhorar a qualidade do ambiente e do tecido urbano.
26- Promover a bioarquitetura, com criação de departamento especifico e programas para formação de pessoal.
27- Dotar a cidade de sistema de cablagem através de fibras óticas e sistemas sem fio.
28- Controlar campos eletromagnéticos.
29- Atuar plano horário de gestão e sistema de distribuição dos depósitos de lixo na cidade.
30- Promover o plantio, em lugares públicos, de plantas de valor ambiental, com critérios de arquitetura naturalística.

31-Oferecer serviços ao cidadão através da internet e promover o uso da rede cívica e telemática.
 32- Eliminar a poluição acústica em áreas barulhentas através de sistemas a prova de som.
33- Promover o teletrabalho (trabalho via internet).
34- Desenvolver a agricultura biológica.
35- Conceder certificado de qualidade aos produtos de artesanato artístico.
36- Tutelar os produtos e manufatos artesanais e/ou artísticos em risco de extinção.


37- Usar produtos biológicos e/ou do território e promover a manutenção das tradições alimentares nos restaurantes coletivos e nos refeitórios escolares.
38- Promover o censo da produção típica do território, apoiar a sua comercialização em mercados de produtos locais e ocasiões e espaços privilegiados para o contato direto entre consumidores e produtores de qualidade.
39-Promover censo das arvores da cidade, valorizando as grandes ou históricas.
40-Atuar para valorizar e conservar as manifestações culturais locais.
41- Promover a instalação de hortas comunitárias urbanas e escolares, de produtos locais, cultivados com métodos tradicionais.
42- Atuar programas de educação sistemática ao gosto, paladar e à alimentação nas escolas, em colaboração com “slow food”


43- Instituir um “Convivium Slow Food” local.
44- Atuar projetos da “Arca” ou “Presidio Slow Food” para espécies ou produtos em risco de extinção.
45- Usar produtos do território tutelados por “slow food” e respeitar as tradições alimentares nos restaurantes e nos refeitórios escolares com programa de educação alimentar.
46- Apoiar as produções típicas do território através da ativação dos “mercados da terra”.
47- Apoiar o projeto “Terra Madre” e as comunidades alimentares através de iniciativas solidárias.
48- Aprovar projetos para formação e informação turística e a boa hospedagem.
49- Atuar plano de sinalização internacional e percursos turísticos guiados.
50- Aprovar política de hospedagem e projetos para facilitar a visita dos turistas e acesso à informação e serviços, sobretudo durante eventos.
51- Preparar de itinerários “slow” da cidade através de material impresso, via web etc.

52- Promover a transparência dos preços e exposição das tarifas do lado de fora dos exercícios comerciais.
53- Aprovar campanha de informação dos cidadãos sobre a finalidade de ser “cidade do bem viver” e a promoção entre todos os moradores, não apenas os operadores, da consciência de viver em uma “cidade slow”.
54-Atuar programas para envolvimento da sociedade na filosofia “slow” e aplicação dos projetos “Cidades do bem viver”, de modo especial as hortas e jardins didáticos, presídio do livro e adesão ao projeto do Banco do Germoplasma.
55- Aprovar programas de divulgação das atividades das “Cidades do Bem Viver” e de “Slow Food”.

As fotos, tirei da net, e mostram o que já foi feito de bom nas cidades. 

 Lendo essa relação de 55 ítens a serem cumpridos pelas cidades, meu lado prático e realista diz que jamais isso será possível !
Mas, meu lado sonhador e esperançoso, tem certeza que é possível sim!  Basta acreditar, trabalhar e...orar...

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

TROCANDO LIXO POR COMIDA


Num mundo de guerra, fome, violência e dor - e muito disso tudo é obra do próprio Homem ! - existem soluções simples, fáceis de fazer e que podem melhorar muito a vida das pessoas e a preservação do planeta. Pesquisando por ai, encontrei muitos exemplos interessantes e que podem ser seguidos por outras cidades. Olhem só: 

CAXIAS DO SUL - RS

http://www.fecomercio.com.br/noticia/troca-solidaria-lixo-reciclavel-vira-alimento-1

A cada quatro quilos de material reciclável separado pelas famílias de baixa renda do município de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, o morador tem direito a um quilo de alimento. Esse é o princípio do projeto Troca Solidária, criado pela Prefeitura da cidade gaúcha, que beneficia mais de 60 mil pessoas em 16 comunidades da região.
Todo o material recolhido é enviado gratuitamente para associações de recicladores do município enquanto as frutas e legumes são adquiridos por meio de licitação junto aos agricultores locais. “Isso nos incentiva a produzir mais porque há mais escoamento de mercadoria”, comemora o agricultor Luiz Carlos Pigatto.
A iniciativa foi finalista na categoria Órgão Público do 4º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade, em 2014. Projetos que estimulem práticas sustentáveis podem concorrer à 5ª edição da premiação.

PORTO ALEGRE - RS

https://jornalismoambiental.uniritter.edu.br/?p=803

 O Projeto Troca Solidária, realizado pela Prefeitura de Porto Alegre em parceria com o Sindicato Rural da cidade, prevê a troca de resíduos recicláveis por hortigranjeiros. 
Inspirada nos projetos Troca Solidária de Caxias do Sul e Câmbio Verdade de Curitiba, a prefeitura de Porto Alegre implantou uma iniciativa semelhante para combater o descarte irregular de lixo e estimular a separação correta dos resíduos recicláveis e orgânicos nas comunidades da capital gaúcha.

GUARUJÁ - SP

http://www.sonoticiaboa.com.br/2017/07/23/lixo-reciclavel-pode-ser-trocado-por-comida-no-guaruja

Lixo reciclável pode ser trocado por comida no Guarujá, no litoral sul de São Paulo.
Desde junho moradores podem trocar resíduos sólidos plásticos como garrafas pets, embalagens de produtos de limpeza em geral, garrafas de água e sacolas plásticas e óleo de fritura por frutas, verduras, legumes e hortaliças, pãezinhos e pescados.
A idéia da prefeitura é estimular a população a separar os materiais recicláveis e ajuda na economia das famílias e na venda de produtos cultivados na região.

CURITIBA - PR
http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/cidade-tem-95-pontos-de-troca-de-lixo-reciclavel-por-alimento/26458

Na capital do Paraná, separar o lixo orgânico do reciclável não faz bem, apenas, para o meio ambiente. Melhora, também, a dieta da população. É que, por lá, os moradores podem trocar resíduos recicláveis por frutas e verduras frescas, por meio de programa da prefeitura chamado Câmbio Verde.
Funciona assim: os cidadãos separam o lixo reciclável que produzem em casa (como jornal, latas de alumínio, garrafas PET e potes de vidro) e, a cada 15 dias, podem levá-lo a um dos 100 postos de troca do Câmbio Verde, que estão espalhados pelos bairros de Curitiba.
A cada 4 quilos de resíduos entregues ao programa, o “doador” tem o direito de levar para casa 1 quilo de frutas e verduras da época. Óleo de cozinha animal ou vegetal também pode ser trocado: 2 litros, depositados em garrafas PET, valem 1 quilo de alimentos frescos.
A iniciativa é um sucesso na cidade! Beneficia mais de 7,5 mil pessoas por mês e coleta quase 350 toneladas de lixo reciclável a cada 30 dias – resíduos esses que, se não fosse o Câmbio Verde, poderiam acabar nos aterros do Paraná.
E tem mais: além de ajudar a população a se alimentar melhor e reduzir o problema do lixo, o programa ajuda os pequenos e médios produtores rurais, que são os fornecedores das frutas e verduras frescas da prefeitura.
Existe, ainda, uma versão infantil da iniciativa, o Câmbio Verde Especial nas Escolas, que periodicamente realiza ações nas instituições de ensino de Curitiba. As crianças levam recicláveis ao colégio e podem trocá-los, entre outros artigos, por cadernos, brinquedos e ingressos para atividades culturais. Assim, os pequenos aprendem desde cedo a arte da reciclagem.


http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/cambio-verde-oferece-frutas-verduras-e-receitas-saudaveis/35406

UMUARAMA - PR

 http://www.atitudessustentaveis.com.br/consumo/conheca-a-feira-que-troca-lixo-por-alimentos/
 Reduzir o desperdício de materiais e ajudar famílias que vivem em situação precária. Estes são alguns dos objetivos do “Lixo que Vale”, um projeto desenvolvido pela prefeitura de Umuarama, município localizado na região noroeste do estado do Paraná.
Criado há dois anos, o programa tem como foco central as famílias carentes do município, mas os seus benefícios estendem-se a toda população. Ao destinar à reciclagem um grande número de materiais que antes seriam descartados na natureza, o projeto auxilia na preservação do meio ambiente e no desenvolvimento de uma consciência sustentável.


JUNDIAÍ - SP

Os galhos podados das árvores da cidade de Jundiaí - SP são destinados à Unidade de Desenvolvimento Ambiental da prefeitura municipal. Lá, viram adubo orgânico para uma horta que produz mais de três mil pés de alface por semana. As verduras são oferecidas diariamente a cerca de 500 famílias da periferia da cidade, em troca de lixo reciclável.

Além de tornar a alimentação muito mais saudável, o programa conscientiza os moradores a manterem os locais onde vivem mais limpos. “O que antes poderia estar jogado e até impedindo a vazão de água das galerias de águas pluviais, hoje é moeda de troca para alimento. Todos ganham com isso”, disse o prefeito Miguel Haddad ao
Jundiaí Online.
 http://www.gentequecooperacresce.com.br/site/post.php?t=cidades-onde-lixo-e-trocado-por-
alimentos-frescos&id=473

 POUSO ALEGRE - MG
Moradores de qualquer parte da cidade podem transformar seu material que iria para o lixo em dinheiro verde e trocar por produtos da cesta básica. O ponto de coleta fica no bairro Santo Antônio.
 http://terradomandu.com.br/index.php/2017/06/01/projeto-em-pouso-alegre-permite-trocar-lixo-reciclavel-por-comida/

É tão simples, tão óbvio, mas tão difícil para as cidades que só enxergam politicamente e não social e humanamente...
Como repararam, a maior parte das cidades que encontrei, são do Sul do Brasil.  Vamos seguir o exemplo deles ?