domingo, 21 de março de 2010

EU TENHO MORANGOS SILVESTRES !!!

Encantei-me com o Morango Silvestre ao conhecê-lo, nascendo espontaneamente aqui no Sítio onde eu moro. "Bicho" de cidade grande, nunca tinha visto tal fruta, ou melhor, tinha sim, quando nas viagens de trem que fazíamos para São Lourenço, e lá no alto da Serra da Mantiqueira, as criancinhas vinham oferecer cestinhas cheias de umas frutinhas exóticas que nós comprávamos por puro encantamento.

Muiiiiiiiitos, mas muitos anos depois, já morando em terras mineiras, descubro as tais frutinhas nascendo perto da minha casa ! Eram as tais da Serra, que eu achava serem amoras silvestres.
A Fragaria vesca L, é um arbusto muito espinhento, de hastes moles que ficam mais deitadas do que de pé.
Não sei se são nativas daqui ou foram trazidas por alguém. Gostam de lugares frescos, e as minhas estão entrelaçadas com as Impatiens (Maria-sem-vergonha) e outras plantas silvestres.

Nascia uma aqui, outra ali, e eu sempre pegava para comer na hora, mas sempre existiam em pouca quantidade.
Reparei que os pés foram se multiplicando, "caminhando" sempre na direção oeste-leste, assim como as Quaresmeiras. Dessa forma, ficando mais pertinho da minha casa.

Já tentei transplantá-los para meu jardim, mas o resultado, até hoje, foi desanimador. Assim como todas as outras plantas, o Morango Silvestre vai onde quer, e na hora que quer.

Ontem, voltando para casa, observo que o "bosque" de morangueiros está repleto de frutinhos vermelhos, maduros e suculentos ! Peguei quantos pude e hoje eles se transformaram num docinho especial, com uma cor linda e um perfume inebriante, lembrando flor.
O sabor tem um quê de suave e perfumado, diferente de tudo que já provei.

Alegrias da Mãe-Terra em tempos mágicos de Outono...

PS: O pote pertencia à minha mãe e faz parte de uma saladeira onde as canequinhas ficam penduradas numa armação de metal. Foi um dos presentes de casamento, lá pelos idos de 1944.
A colher de sobremesa também era da minha mãe.

24 comentários:

  1. oi Flora.
    penso serem os mesmos morangos que tinha por aqui, já faz tempo que não vejo mais se caminham para o oeste já foram embora mesmo...se são os mesmos eles tem um gosto bem difernte, não sei esplicar é como se fossem meio salgados...sei lá.

    mas é muito bem encontrar estas coisas todas assim tõa perto de cas, presente dos deuses, eu diria.
    muito bonita a tigelinha, antigamente tinham coisas muito bonitas, não que hoje não tenha, mas é tudo muito plastico, eu acho.

    beijo de luz

    ResponderExcluir
  2. Flora
    Adorei recordar através do seu post, os tempos de férias que passava na aldeia. Muitas vezes, quando descia os socalcos da serra, encontrava nas suas paredes, estes deliciosos frutos. Também eu dizia à minha avó para cultivar alguns pezinhos, mas ela respondia que eles só se davam ali no intervalo das pedras da parede.
    Há tempos que não me lembrava destes frutinhos, que para mim ainda têm o sabor da minha meninice.
    Beijinhos
    Lourdes

    ResponderExcluir
  3. Oi Flora ! Que lindos ! Fiquei,
    até, com água na boca. Devem ser
    deliciosos, pois tudo que nasce assim
    espontaneamente e amadurece devagar
    fica uma delícia. Que bom para você !
    Que sorte viver perto dessas coisas
    maravilhosas que a natureza nos dá. Fiquei babando aqui... rsrsrs
    Beijos. Vera
    P.S. A compoteira e a colher são, também, uma graça. Combinam com os moranguinhos.

    ResponderExcluir
  4. Ai, Flora, que maravilha ter tudo isso à diposição!
    O pote é uma relíquia. Adoro coisas antigas.
    Boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Flora. Enrolei-me com o novo
    requisito do blog para o envio de
    mensagens. Eu não sou "Anônimo" não... rsrsrs
    Sou Vera Scheidemann.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Flora

    Na casa da minha mãe em Avaré,tinha muitos,minha mãe fazia geléia...aí que saudades...
    Flora,me mande seu e-mail prá eu te mandar a foto da casa amarela,ok?
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ah...já os vi lá pelas bandas de Guarujá, há muito tempo atrás...lindos! Saudades de sua mantiqueira...beijos minha amiga...

    ResponderExcluir
  8. Que lugar abençoado... São tantas as belezas que daqui fico encantada! As quaresmeiras em flor, que coisa mais linda de se ver... Estou com saudades da serra... Ah, e esses morangos! O doce nos deixou com água na boca... Que Deus te abençoe sempre por viver num lugar tão generoso. A louça também é uma preciosidade!
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, Rosan:
    Eles tem o gosto totalmente diferente do morango tradicional, e tem um quê de salgado sim.
    Fiquei muito feliz ao ver como eles estão se multiplicando. No início do ano peguei uns 3 pezinhos e plantei dentro do meu jardim, mas não vingaram. Enquanto isso, lá fora, eles vão crescendo, crescendo...

    Adoro peças de vidro, não precisa ser cristal, e não gosto de usar plástico, só o estritamente necessário.

    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lourdes, nas minhas pesquisas descobri que eles são conhecidos como morangos europeus.
    Foi uma agradável surpresa para mim encontrar esses frutinhos nascendo ao léu, pois o morango tradicional eu não consegui ter porque são atacados pelas formigas.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Oi, Vera:

    Eu adoro essa vida, mas, para a maioria das pessoas ela é dura. Conviver com formigas que comem o que plantamos, encontrar cobras (raramente) pelo terreno, ser picada por marimbondos (muitas vezes), queimada por taturanas (que dor !), quase ficar "ilhada" quando chove muito, etc, etc, etc.
    Viver com pouco dinheiro, não andar na moda (que não gosto mesmo de seguir), enfim, ser Alternativa, é muito bom para mim, mas não agrada a gregos e troianos...

    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Oi, Gina, eu também ADORO coisas antigas e tenho bastante, herdadas de avó, mãe, sogra e mãe da sogra !!!

    Minha casa é quase um Museu...
    Mas não tem nada de valor-dinheiro, e sim valor sentimental.

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Ok, Vera, eu também vivo me enrolando...

    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sonia, o email está aqui no blog, mas vou escrever para você, e obrigada, desde já.

    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Oi, Zininha:

    Acredito que esses moranguinhos existam em muitos lugares, mas nas minhas pesquisas não consegui saber de onde eles são originários.
    Já ouvi dizer que no alto da Serra da Mantiqueira, pelos lados de Itamonte, existem localidades onde eles existem aos montes. Essas localidades tem um clima frio, europeu até, e lá cultivam as frutas desse tipo, como pêssegos, maçãs, ameixas.

    Venha matar a saudade...

    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Obrigada, Zélia, pelas palavras.

    Eu me sinto muito feliz aqui, sim, pois gosto de vida simples, longe das grandes cidades e do movimento de carros e pessoas.
    Aliás, costumo dizer que São Lourenço já está muito grande para o meu gosto...

    A louça é um encanto, mas nada de grande valor, pois minha família é simples, e nunca tivemos cristais e prataria.

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Flora, já experimentei esses lindinhos a alguns anos, nas montanhas aquí do meu estado. Estavam como vc falou...pelos cantinhos de uma estradinha que vai para um hotel. Passei e não resistí.
    Feito assim, nunca provei. Mas com tanto carinho, deve ter ficado uma gostosura!!!
    bjinhoo

    ResponderExcluir
  18. Oi Flora que bom tê-la lá na Casa da Dona Santa. ADOREI seu passeio pelo bloguinho.
    E esses morangos, que tudo. Nunca tinha ouvido falar de morangos silvestres. Devo ser mesmo bicho de cidade.
    Quer dizer que o gosto é diferente, dos morangos tradicionais?
    Acho que por aqui no Rio não tem morangos silvestres não.
    Grande beijo em ti.

    ResponderExcluir
  19. Oi Flora. Você tem razão. A vida al-
    ternativa não é fácil, mas tem tantas
    e tão doces compensações. A vida ur-
    bana também não é fácil e as com-
    pensações... são discutíveis. É pre
    ciso ser esperta para escolher a
    primeira opção ! rsrsrs Ah, aqui no
    Rio, no meu modesto jardim, já fui
    queimada também por uma taturana (vi
    estrelas de dor !). Beijos. Vera

    ResponderExcluir
  20. Oi Flora!
    Adoro morangos.Mande uma caixinha para mim,mande ;) Esses parecem deliciosos.Ai,que vontade!
    Também li seu post sobre a Quaresmeira,nem sabia que havia uma flor com esse nome.É bela mesmo.

    Aproveito que a Blogagem de Março está na recta final (aguardam-se os vencedores dia 1/04.Ah,já recebeu o prémio pelo correio?) e deixo um convite: participe na Blogagem de Abril do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com. O tema é: “Páscoa na minha Aldeia”. Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt (+ título e link do respectivo blog) até dia 8 de Abril. Participe. Haverá boa convivência e possíveis prémios (veja mais dia 29/03 no blog da Aldeia)!

    Jocas gordas
    Lena

    ResponderExcluir
  21. Sempre achei meio mágico encontrar e colher frutos silvestres. Vejo aqueles programas de culinária que mostram as pessoas saindo pelos bosques para colher cogumelos e fico maravilhada. Onde eu moro nascem muitos cogumelos, mas não sei se são comestíveis.

    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Oi, Fê:
    Gostei muito do seu blog e voltarei sempre.
    Acredito que na serra - Petrópolis, Teresópolis, Friburgo - tenha, pois acho que são de clima frio.
    E o gosto é bem diferente do morango comum, que é mais saboroso.
    Beijo

    ResponderExcluir
  23. Oi, Vera;
    Eu só fui conhecer taturanas aqui em São Lourenço, pois nos jardins das casas da minha família, no Rio, nunca vi nenhuma.
    São tão bonitinhas, mas a dor é terrível.
    Beijo

    ResponderExcluir
  24. Oi, Lena:
    Ainda não recebi meu prêmio, que estou esperando ansiosamente !
    Moro numa cidade pequena e distante das principais capitais do Brasil, portanto, para chegar aqui demora mais.

    Gostei de participar e talvez escreva sobre a Páscoa.

    Obrigada pelo carinho, pois fui muito bem recebida por vocês da Aldeia.

    Beijo

    ResponderExcluir

RECEBER SUA VISITA É MUITO BOM !
LER SEU COMENTÁRIO, É MELHOR AINDA !!!